Contabilidade de custos – caminho para a efetividade de sua gestão!

Entender como funciona a gestão de custos de uma organização é primordial para atingir suas metas e planejar novas estratégias bem como, controlar e adequar os preços de vendas, utilizando ferramentas específicas da área financeira.

Conhecer os reais custos da empresa é importante por várias razões. Entre elas podemos citar o conhecimento do resultado (lucro ou prejuízo) resultante das operações, e as tomadas de decisões adequadas para enfrentar a concorrência.

Portanto, o objetivo do gestor financeiro da empresa é maximizar o lucro líquido decorrente das operações realizadas pela empresa. O lucro em uma empresa é decorrente das vendas, menos o custo das mercadorias vendidas e todos os demais gastos da empresa.

Desta forma, quando se controla dos custos da empresa, há garantia que as operações estarão sempre adequadas ao tipo de negócio, mantendo a produtividade em níveis aceitáveis e podendo reagir adequadamente aos fatores de riscos e de oportunidades inerentes ao segmento.

Alguns conceitos devem estar bem claros para que esta gestão seja eficiente e propicie uma visão gerencial adequada e certeira:

  • Gastos: o termo é usado para definir transações financeiras nas quais a empresa utiliza recursos ou assume uma dívida em troca da obtenção de algum bem ou serviço. Gasto é um conceito abrangente e pode englobar os demais itens. O gasto pode estar definido como investimento ou como consumo.

É importante destacar aqui que gasto não é sinônimo de desembolso, pois o ato do pagamento (desembolso) pode acontecer em momento diferente do gasto. Por exemplo, se for efetuada uma compra de material com 60 dias de prazo para o pagamento, o gasto ocorrerá imediatamente, mas o desembolso só ocorrerá 60 dias depois.

  • Investimentos: são gastos que beneficiarão a empresa em períodos futuros. Pode citar como exemplo as aquisições de ativos como novas máquinas e equipamentos. Nesses casos, por ocasião da compra, a empresa desembolsa recursos, visando a um retorno futuro sob a forma de produtos fabricados. Convém salientar que o uso ou o respectivo desgaste das máquinas e o consumo dos estoques no processo fabril são considerados como custos de fabricação.
  • Despesas: expressam o valor dos bens ou serviços consumidos direta ou indiretamente para obtenção de receitas, de forma voluntária. Esse conceito é utilizado para identificar os gastos não relacionados com a produção, ou seja, os que se referem às atividades não produtivas da empresa. Geralmente, esses gastos são classificados como despesas comerciais, despesas administrativas, despesas financeiras e outras. Exemplos: salários e encargos sociais da equipe de administração (despesas administrativas), juros bancários pagos (despesas financeiras), propaganda (despesas comerciais), etc.
  • Custos: são os gastos efetuados no processo de fabricação dos produtos ou prestação de serviços. No caso industrial, são os fatores utilizados na produção, como matérias primas, gastos com mão de obra dos operários da fábrica, aluguel do galpão, etc.

 

  • Perdas: as perdas possuem característica de anormalidade e involuntariedade; não é um sacrifício feito com intenção de obtenção de receita. Exemplos comuns: perdas com incêndios, gasto com mão-de-obra durante um período de greve.

 

Entenda cada processo da organização, e verifique as alocações dos gastos, este processo apesar de trabalhoso pode ser o caminho para a efetividade de sua gestão!

 

Texto extraído da apostila do curso de Gestão de Custos e Formação de Preços – IBDEC


Parse error: syntax error, unexpected 'academy' (T_STRING) in /home/ibdecnet/public_html/2014/wp-content/themes/academy/comments.php on line 3