Inteligência Emocional (IE)

A inteligência emocional se traduz na possibilidade do ser humano de aprender a lidar com as próprias emoções e usufruí-las em benefício próprio, estando sempre motivado e procurando atingir sua melhor performance, inclusive inspirando pessoas ao redor. Aprender, também, a compreender os sentimentos e comportamentos do outro.

A Inteligência Emocional funciona quando conseguimos conciliar o lado emocional e racional do cérebro, neutralizando as emoções negativas, as quais produzem comportamentos destrutivos e, potencializando as emoções positivas para gerar os resultados desejados. Novamente, uma das grandes vantagens das pessoas com inteligência emocional é a capacidade de se auto motivar e seguir em frente, mesmo diante de frustrações e desilusões.

Charles Darwin escreveu sobre a importância da expressão das emoções para a adaptabilidade humana no século XIX. Em 1920, um cientista americano cravou o termo “inteligência social”. Em 1983, surgiu a teoria das inteligências múltiplas. Mas foi Daniel Goleman, com o livro “Inteligência Emocional“, em 1995, que o termo inteligência emocional explodiu para as massas. Goleman, elenca os cinco pilares da Inteligência Emocional (IE), quais sejam:

1 – Conhecer as próprias emoções: o primeiro passo é se conhecer, analisar suas emoções e as ações que você faz em resposta aos estímulos. Essa é a chave da inteligência emocional! Mas você deve estar ciente de que a Inteligência Emocional é um processo gradual e que varia de pessoa para pessoa. Não apresse as coisas, não se desespere. O importante é conhecer melhor as suas próprias emoções para que assim possa refletir profundamente sobre isso.

2 Controlar as emoções: inevitavelmente passamos por momentos estressantes na vida, ou nos sentimos ansiosos por algum motivo. Aprender a lidar com as emoções e controlá-las colocará na direção certa conforme cada situação, e fará toda a diferença entre o equilíbrio e a disfunção. Evite pensar de imediato em um resultado negativo. Seja otimista, tente enxergar sempre o lado positivo das coisas e lembre-se que cada situação possui diversas saídas, basta procurá-las. E quando estiver sob pressão, a coisa mais importante é tentar manter a calma. Encontre uma distração, realize uma atividade prazerosa e canalize sua ansiedade. Uma dica que geralmente funciona é se afastar do conflito, ou tentar esquecê-lo por um momento. Distraia-se com outros afazeres e pensamentos, isso lhe trará calma e equilíbrio quando tiver que retomar o conflito.

3 – Automotivação: é a capacidade de dirigir suas emoções rumo a um objetivo ou realização pessoal. As pessoas que têm essa capacidade tendem a ser muito mais produtivas e eficazes no dia a dia.

4 – Empatia: aprender a se colocar no lugar do outro, de reconhecer as emoções dos outros e entender seus comportamentos, nos torna mais sensíveis e abertos.

5 – Saber se relacionar interpessoalmente (habilidades sociais): outro ponto chave para o sucesso é saber ter boas relações, guiando as emoções dos outros. Isso criará um ambiente positivo a sua volta, melhorando não só a sua qualidade de vida, mas também contagiando aqueles ao seu redor.


No mundo atual, não basta ser inteligente, esperto e preparado para competir. É preciso ter calma e empatia e persistir diante das frustrações para conseguir viver bem no amor, ser feliz com a família e vencer no mercado de trabalho. (Daniel Goleman.

 

Escrito por Melissa Cristina Ponciano

 

Fontes utilizadas: https://www.febracis.com.br/blog/5-pilares-inteligencia-emocional/

https://www.significados.com.br/inteligencia-emocional/

https://viniciusaguiari.com/inteligencia-emocional/

http://www.criandocomapego.com/as-50-melhores-frases-de-inteligencia-emocional/